novembro 25, 2012

AÇÚ e EVERGLADES. Cá como lá !


A CERTEZA  DA    INCERTEZA  (Clique no título para acessar ao Relatório completo. Em Inglês)
.


A questão fundamental  da   recuperação de  Everglades é  como  capturar    a água  armazenada no subsolo  e,  em seguida,  distribuí-lo  para  repor a  água nos ecossistemas durante  períodos de seca.   Especialistas e restauração estão
estão avaliando possíveis tecnologias para fazer isso, talvez o  mais                         ambicioso  sistema de  armazenamento  e recuperação de aquífero(ASR).
O  plano propõe a perfuração de mais de 300   poços no sul da Flórida     com
Fluxo de  até 1,7 bilhões de litros de água por dia,  de aquíferos subterrâneos para ser armazenado e bombeado para fora, conforme necessário.   Ainda não se sabe se o sistema proposto irá realizar o que está destinado a fazer. Embora o armazenamento e recuperação do aquífero tem sido usado com sucesso em menor escala na Flórida desde 1983, a escala da nova proposta é sem precedentes   e levantou várias questões. Por exemplo, como grande parte  da   água armazenada em aqüíferos pode realmente ser recuperado? E se a água doce superficial  misturada     com água subterrânea  possui  sal ou dissolve substâncias químicas indesejáveis ​​das  rochas em que está armazenado? O bombeamento dos poço fará com que aconteçam fraturas nas formações rochosas  vai permitir e permitir que a água salgada para mover-se em aqüíferos superficiais de água doce?  Lidar com essas incertezas é o principal impulso do primeiro relatório desta série,  Armazenamento aqüífero e Plano de Recuperação da Grande  Everglades.  O grupo técnico que analisou o projeto piloto de perfurar poços de teste diversos. O relatório exorta a    a aplicação dos princípios de gestão adaptativa para o projeto, isto é, desenhá-lo de tal forma que permite que os engenheiros responder a questões importantes, como o  projeto  poderá ser    implementado e, assim, projetar    melhores  componentes à medida que avançam,     ou para inverter o curso, se necessário. Um projeto inicial de engenharia,  com informações sobre  armazenamento aqüífero e recuperação, gerenciamento adaptativo pode ajudar a evitar os negativos   conseqüências e garantir que os objetivos do projeto estão sendo cumpridos.   O relatório identifica três principais áreas de incerteza, questões regionais, qualidade da água,  e local de desempenho para o qual uma melhor compreensão exige ações bem  para além do âmbito do projeto    piloto que foi inicialmente proposto. Recomenda-se  que o  grupo técnico elabore um quadro mais completo da região, desenvolvendo uma escala regional, modelo de fluxo de águas subterrâneas e realização de perfuração exploratória para identificar   e caracterizar  formações rochosas subjacente   com  água,  qualidade e outras características físicas. Também
Informar  assegurar com dados  análise laboratoriais se  a água é segura para todos as suas utilizações.   No geral, o Corpo de Fuzileiros foi muito atento a estas sugestões como afirmado na   revisão do plano piloto.   Problemas no armazenamento e recuperação.(ASR_2002). O relatório   conclui que o plano revisto poderia ter  sido ainda mais coerente com os princípios    de gestão adaptativa. Também    recomenda maior atenção a  monitorização ecológica,
Efeitos  na utilização  da água do aquífero e armazenamento, sistemas de recuperação de prestar mais atenção ao   impactos sobre o ecossistema como um todo, em vez  de  apenas   avaliar  a toxicidade para os organismos individuais. 


Imbé

Imbé
Vida da gente do Imbé

BUSCADOR WEB

Google

Tradutor On Line

Educativa FM 107.5







Campos terra dos Goytacazes