abril 29, 2013

Operação em Italva, RJ, apreende material usado em pesca predatória


Grades que impediam o curso normal dos peixes no rio Muriaé. (Foto: Divulgação) 
Operação em Italva, RJ, apreende material usado em pesca predatória
Segundo a Polícia Florestal, 200 quilos de peixes eram retirados por dia.
A denúncia partiu da Secretaria de Meio Ambiente do município.







Barragem que impedia o curso normal da água no rio Muriaé. (Foto: Divulgação)




Policiais do Batalhão de Polícia Florestal apreenderam durante operação nesta sexta-feira (26), em Boa Ventura, distrito de Italva, no Noroeste do Estado, materiais usados clandestinamente para a prática de pesca predatória no rio Muriaé, que corta a cidade. Aproximadamente 200 quilos de peixes eram retirados por dia, ilegalmente. Ninguém foi encontrado no local.
De acordo com o Sargento Marcelo Rodrigues, eles receberam uma denúncia da secretaria de Meio Ambiente de Italva, que apontou a prática no rio. Segundo ele, grades eram colocadas para mudar o percurso dos peixes, atraindo os mesmos para as armadilhas.
“Cerca de oito policiais realizaram essa operação desde as primeiras horas da manhã e nós apreendemos muitos materiais, como grades, bigornas que fazem peso no fundo do rio e redes. Essa pesca ilegal facilita a retirada de peixes de fácil comercialização, sem esforço do pescador”, afirmou o sargento.
Para a polícia, a procura na região é pela espécie conhecida como robalo, que nos mercados de peixe é vendido por R$ 30 o quilo. Outro peixe muito procurado é o grumatã, abundante no rio Muriaé.
Todo material foi levado para a 148ª Delegacia de Polícia de Italva, onde está sendo feita a ocorrência. A partir das primeiras horas da manhã deste sábado (27), a polícia florestal retorna à localidade para tentar encontrar mais indícios desse crime.

                    Letícia Bucker
G1  do G1 Norte Fluminense


Imbé

Imbé
Vida da gente do Imbé

BUSCADOR WEB

Google

Tradutor On Line

Educativa FM 107.5







Campos terra dos Goytacazes